terça-feira, 22 de abril de 2008

A questão n'As Vicentinas de Braganza

Passa-se n'As Vicentinas de Braganza alguma agitação quanto a censura. Creio no entanto que esta não será a palavra mais correcta, já que isso implicaria a subtracção ou alteração de conteúdos contrariamente à vontade do autor.

O próprio Blogger explica no ponto 16 das suas condições de utilização: «nós detectamos o número de vezes que um blog é sinalizado como repreensível e utilizamos essa informação para determinar quais as medidas a tomar. Tenha em atenção que os utilizadores podem clicar neste botão uma segunda vez para retirarem a sua sinalização.» Depreende-se que, possivelmente, o Blogger regista os IP de quem sinaliza o blog como sendo «repreensível» (expressão do próprio Blogger!). Assim sendo, há duas explicações para esta situação:
  1. um grupo de pessoas sistematicamente sinalizou o blog como sendo «repreensível»;

  2. a mesma pessoa repetidamente clicou no botão em causa mas usando diferentes IP ou, mais realisticamente, usando um IP anonymizer.
Se a situação 1 poderá ser encarada como aceitável sendo o grupo de pessoas não correlacionado, já o mesmo não se poderá dizer quando o resultado final for consequência duma campanha organizada, seja nos casos 1 ou 2. Nessa situação, não se está perante censura mas sim cobardia, já que quem discorda do conteúdo opta pela via fácil do automatismo em vez de explanar os seus pontos de vista, em comentário ou em blog próprio.

Penso, no entanto, que o ponto relevante nesta história toda, e noutras semelhantes, reside no próprio facto do Blogger ter decidido incluir esta funcionalidade na sua plataforma. A equipa do Blogger não quer rever os conteúdos, o que de resto seria impossível. Mas pretende que exista um mecanismo que lhe permita remover conteúdos publicados ou condicionar o respectivo acesso. Isto, sim, é censura.

Uma outra questão associada a este assunto é a dos próprios limites. Até que ponto se pode ser livre para publicar o que se pretender? Liberdade infinita não terá que arrastar consigo a responsabilidade infinita?

25 comentários:

Al Kantara disse...

Caro(s) clandestino(s), conseguir que um blog tenha reconhecidamente conteúdo objectável (seja lá o que isso for) é um patamar de qualidade que nem todos conseguimos atingir. Eu próprio, por alguma timidez e falta de talento, ainda não consegui atingir esse primeiro degrau que me indicará estar no caminho certo. (Mas não desisto...)

j simões disse...

desculpem estar a intrometer-me na conversa mas: deixem-se de merdas e mudem para a plataforma "sapo" que não tem censura de qualquer tipo. foi o que fez, por exemplo, o blogue "e deus criou a mulher"; acabaram-se de vez os problemas.

Watchdog disse...

O Al Kantara se calhar está a ser modesto. Pra além de que já não é a primeira vez que vejo o seu blog citado na edição impressa do jornal Público. Ainda que possa ser pouco relevante, é um sinal de que é seleccionado pelo conteúdo em determinado dia. Há aí um certo reconhecimento...

Watchdog disse...

J. Simões, ainda agora chegamos aqui, vindos da Wordpress. Por enquanto está tudo a correr bem, sem queixas.

dissidentex disse...

Desculpem lá a minha franqueza e a minha crueza de palavras mas os senhores estão a ser estúpidos e a darem ao Google/blogger uma vantagem que não se deverá dar.

Pura e simplesmente tirem os blogs da plataforma.

O google tem uma prática e um comportamento relativamente a conteúdos e a mostrar a visibilidade dos blogs que´do mais detestável que há.

Além disso nada não prova que não tenha sido um dos próprios a utilizar um anonimyzer para se auto censurar e depois criar um facto político desta magnitude que justifica posts.

Cortem com essa situação ou avancem para um site próprio.

Agora virem para aqui pessoas a acharem porreiro que o blog tenha sido reconhecido como blog objectável é do pior que há.

Quando um blog é "objectável", o Google começa a retirar os resultados dos posts desse blog das listas de busca do motor de busca e dessa forma o blog torna-se menos visível.


Por isso talvez fosse melhor deixarem-se dessas merdas teóricas e mandassem o hospedamento nos blogs do Google para o caixote de lixo.

Não brinquem com os gajos.

Al Kantara disse...

Caro watchdog, palavra de honra que não sabia que os rapazes do Belmiro perdiam tempo a ler as minhas "navalhadas". Enfim, ser mencionado pela "inteligentzia" da Sonae é, de facto, um abalo à modéstia de qualquer um...

Watchdog disse...

DissidenteX:

Parece que há aqui um mal entendido. Vamos lá por partes: o meu colega de blog, Raposa Velha, escreveu este post dando conta de uma situação que se passa noutro blog (Vicentinas de Braganza). A única ligação que temos ao "Vicentinas", ou o que temos em comum, é o facto de um dos colaboradores desse blog escrever aqui. Esse mesmo colaborador já tinha escrito anteriormente aqui um post expondo a situação. Com este blog (Klandestino) não há de momento problema algum, no dia em que houver pensaremos em alternativas.
Quando num dos meus comentários anteriores falei em reconhecimento, estava a referir-me a outro blog (Ponta e Mola) e num contexto totalmente diferente.

dissidentex disse...

Watchdog: tudo bem, até porque eu mais ou menos, soube o que se passou no outro.

O que eu quis dizer é que a política do Google( e eles não respeitam por vezes os próprios termos de serviço deles) é uma merda.

Basta alguém aqui ou no vicentinas ou no xpto, flagar o blog que o google automaticamente ou avisa o blog e o dono do blog ou entra a meter aquele aviso ridículo de que os conteúdos são impróprios.

Eles fazem isto porque tem 200 milhões de blogs. E são o principal motor de busca.

E mais ainda, eles discriminam nos avisos consoante o blog é grande ou pequeno.

A única maneira de os combater é de os ignorar.

Saindo da plataforma deles e estando noutras não lhes passar cartão e escrever posts como nada se passasse.

Se for preciso deixam estar blogs com certos conteúdos ofensivos e afastam outros mediante critérios que não se entendem.

E dão oportunidade a que qualquer pessoa apenas para chatear flague um blog.

O afastamento dos blogs não é feito manualmente e quando é feito através dos engenheiros do Google é necessário longas e complicadas negociações que demoram sempre 3,4 meses.

Não vale a pena a maçada e o tempo.

Raposa Velha disse...

O Dissidentex te razão neste aspecto: o mecanismo de censura do blogger é muito questionável. Mas as coisas são mesmo assim, pode-se sempre mudar quando não se gostar. E por enquanto, na minha opinião, ainda é vantajoso estar no blogger. Até porque *todas* as plataformas têm as suas cenas. (Penso eu de que)

Arrebenta disse...

Infelizmente, a história é outra, e bem mais polémica. Durante algum tempo pensámos que houvesse uma perseguição por parte de uma única pessoa, por sinal, bastante doente, mas já se suspeitava de que estivesse ao serviço de uma instituição.
Já não excluo, presentemente essa hipótese.
Leiam, atentamente, o texto, e as hiperligações: não são, senão, uma pequena parte do pântano.

É óbvio que os jornais e as televisões lêem os blogues, e isso pode ser considerado pernicioso: fomos nós que atirámos o diploma do Sócrates para a lama, e provocámos a crise do Carolina Michaelis, como poderemos, em breve, provocar outras, bem mais graves, como já soa por aí.
Mais não digo, excepto que peço alguma complacência para quem incorre nesses actos, pois parece que, ao contrário de mim, acreditam em Deus, e, logo, no Inferno.

Arrebenta disse...

Pesoalmente, não acredito que pessoas como o insolente Paulo Querido, do "Expresso", ou o pretensamente angélico Pedro Namora, se atrevam a escrever emails no tom em que me o fazem. Às vezes, até tenho dúvidas de que aquilo seja realmente dirigido a mim, mas é.
A questão com esse tal de Querido é de tal ordem que conseguiu violar o princípio básico da Net, a possiblidade de seguimento da hiperligação. Podem tentar aceder, a partir do "Vicentinas" aos lugares dele, e verão -- ele próprio explica como se faz -- que são remetidos para o ponto de partida (!)
Para quem procura definições de Terrorismo, aí tem uma, bem clara.

Ainda a propósito da "censura vindicativa" do "Vicentinas", deixei na caixa de comentários do Paulo Querido o mesmo texto que repeti em várias caixas de comentários, incluindo as vossas, e chamando a atenção para o facto. Aproveito para aqui reproduzir o email de rejeição do comentário, enviado pela tal figura.
Não se espantem, sei que tenho muita imaginação, mas a Realidade ultrapassa-a:

"Paulo Querido to me
show details Apr 21 (2 days ago) Reply


Caro senhor,

já devia ter percebido que os seus comentários são bloqueados pelo sistema e assim vão continuar: não gosto de si, não tenho consideração alguma por si, não o aceito no meu blogue. Faça um e chame-me censor.

Já devia também ter percebido que as suas actividades não tem o menor interesse para mim nem, pelos exemplos que oportunamente pude observar, as considero minimamente relevantes para a sociedade, pelo que ignoro por completo o que faz e os resultados do que faz.

Passe bem

--
Paulo Querido"

E é assim que estamos...

Anónimo disse...

Vocês estão todos doidos, coitados.
O Blogger sabe mais de blogs, bloggers e blogsfera que todos nós juntos. Mas vocês, do baixo do vosso COLOSSAL UMBIGO, acham-se vítimas de um sistema parolo engalado por 2 ou 3 gatos pingados a usar um anonymizer.

Tenham dó.

Arrebenta, és mesmo um nojo de criatura. O Paulo Querido fez bem em bloquear-te e francamente meteu-te na ordem com esse mail. Desde quando é que ele, ou outra pessoa qualquer, é obrigado a levar com a porcaria que tu inventas?

Anónimo disse...

"Ali se define a cartilha dos trolls. Os quatro principais pontos são:

nenhum comentário, post ou outro conteúdo publicado pelo utilizador pode ser injustamente assinalado ou apagado

a moderação só pode ser activada para o spam e conteúdo que viole as leis locais

diferença de opinião não é justificação suficiente para apagar

aos utilizadores deve ser fornecida uma razão clara sobre porque foram censurados e dada a opção de responder ao moderador

Chamar "fascista censor" aos moderadores é um dos passatempos favoritos dos trolls, que deram novos usos ao termo fascista.

Isto em si já é trolling: estabelece propositadamente a confusão com o direito de resposta consagrado nas leis que regulam a comunicação social.

Paulo Querido "

in http://clix.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/201278

arrebenta disse...

Anónimo das 14:06, essa é a Minha cartilha! O Paulo Querido roubou-ma"

Anónimo disse...

Ainda bem que se assume. Já não era sem tempo.
O Arrebenta não passa de um troll.
As autoridades deveríam reflectir seriamente sobre a tolerância com que brindam estes casos. Por exemplo, este indivíduo calunia com total impunidade. É este o uso que ele faz da liberdade de expressão que nos foi conquistada.

Um dia haverá fenómenos de correcção e aí, teremos de ter presente que fomos co-responsáveis por tolerar o que este Arrebenta faz.

Neste dia de 25 de Abril é bom recordar que não foi para isto que muitos pagaram tão caro a luta pela Liberdade.

Não foi para isto que se fez uma revolução.

raposa velha disse...

Anónimo, caralho, não é verdade que o Arrebenta seja um trol. O trol sou EU!
EU é que sou o verdadeiro Arrebenta!
Não pense,. nem por 1 minuto, que me vai roubar o protagonismoda responsabilidade. O único responsável por esta merda toda sou eu, com os meus muitos nicks.

Juntos, construímos uma cadeia de reputação e nessa cadeia vamos fechar toda a paneleiragem que anda aí na net, do Pacheco ao Sócrates.

EU e os meus nicks é que somos CREDÍVEIS!

Arrebenta disse...

Aparentemente, o flagelo já se deslocou para aqui também.
A demência é como as metástases de um cancro generalizado.
Esquece-se de um pequeno pormenor: quanto mais aparece, quanto mais insiste, quanto mais estrebucha, mais pessoas perguntam "quem é?..." e a mais pessoas somos, involuntariamente, forçados a contar a verdadeira história...

Kl@ndestino disse...

MENINAAAAS, o que é que se passa aqui? Será preciso activar a moderação de comentários?...

Watchdog disse...

Arrebenta:
Aqui não há flagelos nem cancros! Não há necessidade de alimentar certo tipo de parvoíces...

Raposa Velha disse...

O espertinho do comentário das "25 de Abril de 2008 17:11" que se fez passar por mim é um algo patético. Se tem algo a dizer não precisa se pretender ser outra pessoa. Ou tem problemas em assumir o que diz?

Como podem ver por este comentário, ao postar como raposa velha aparece a imagem ao lado.

Duma forma rudimentar, o triste em causa usou a opção "Nome/URL", tendo colocado em nome "raposa velha" e em URL o link para o meu profile, pretendendo dar credibilidade à falcatrua.

Caríssimo, se quiser um pouco mais profissional, crie um profile e use a minha imagem como foto. Aí já irá postar com o meu nick e com a minha imagem. Terá é alguma dificuldade em fazer aparecer os meus blogs no seu profile... Isto é, se quiser ir além das aparências.

Não apago o seu comentário de propósito. Há-de fazer companhia ao resto do lixo binário que pela net abunda.

arrebenta disse...

"A moderação de comentários foi activada. Todos os comentários têm de ser aprovados pelo autor do blogue."

ROTFL!!!!

Arrebenta disse...

Vamos ver se o assunto encerra por aqui, porque realmente fomos o primeiro país do Mundo a abolir a Pena de Morte, não vamos agora tornar a Blogosfera num espaço de Expiação Eterna de uma coisa que acho que ninguém percebe bem do que se trata.
Desculpem o desabafo.

Moriae disse...

isto é 'noia a mais para mim ...

ANTONIO disse...

voltou a censura salazarenta ?

Anónimo disse...

voltou a censura social-fascista-estalinista, o Big Brother